{Texto} Conclusões da madrugada

25 janeiro 2017
Uma história de amor onde o “E viveram felizes para sempre não consta no final”, onde eles deixaram o tempo cuidar e o tempo ao invés disso levou. Foi leve e brusco ao mesmo tempo. Talvez, nem fosse uma história de amor. Só amor sem história ou história sem amor, não, isso não, havia amor, eles somente não souberam decifrá-lo, traduzi-lo, exteriora-lo, aproveitá-lo, vive-lo... O que nos custa dizer “Eu te amo”? O que custa? Mesmo que a resposta seja não. Vai passar o resto de sua vida pensando como teria sido se você tivesse aproveitado aquela chance, aquele momento que teve para falar tudo, aquele momento que teve para experimentar o beijo não se importando com o redor, aquele momento de dizer que todos os seus pensamentos eram para ela, que todos os seus escritos, seus sonhos, suas ações. Quantas oportunidades tiveram? Não, não culpe o tempo, ele não levou, ele trouxe, ele jogou na sua cara a oportunidade e você quis algo pronto, algo que você não teria que modelar, que não precisasse dar nem um pouquinho de si, que não precisasse ao menos dizer ou fazer algo que te gastasse, arrancar aquela casquinha dura do peito que sabe toda a verdade, mas não tem coragem, não admite, não tenta...

Quem dera pudéssemos também pedir coragem ao magnifico Mágico de OZ, quem dera pudéssemos espiar em outra dimensão como teria sido se tivéssemos dito tudo aquilo, em todas aquelas oportunidades, reforçado o sentimento, se humilhado um pouquinho, o que custa? Porque temos essa curiosidade? Queríamos saber se estávamos na melhor, na pior, na mesma? Não que estivesse ruim agora, não que se arrependa do agora, mas a mente coça. Como teria sido? Talvez, ele viveu feliz, com algumas oscilações, pois, não estamos de fato em um conto de fadas, então sim, ele pensaria nela, pensaria se ela se lembrava dele, pensaria que esses pensamentos são indevidos, pensaria em parar de pensar nisso, mas acabava pensando mais, pensando como teria sido.

Ele tinha tanto medo, pensava que tudo em seu tempo iria se acertar, mas se não acertasse, ficaria apenas no passado, como algo usado para inspiração para algumas canções e playslists idiotas. Fazia de acasos casos de pura coincidência, sorria e guardava na memória cada detalhe das longas mensagens trocadas na madrugada. Mas, acima de tudo ele achava que quando soasse o gongo, quando da ampulheta caísse o último grão de areia, cada um seguiria seu caminho (verdade) e todos os desejos reprimidos seriam removidos como uma lembrança boa, mas distante (nem tanto). Às vezes, algumas músicas ou ocasiões fazem com que tudo volte a sua mente como um bumerangue arremessado há tempos e lhe acerta em cheio, o estonteia e faz com que guarde ainda mais, reprima mais... “ Tente esquecer idiota, já faz tanto tempo”, “ Eu tento...” O coração sussurra de volta e tenta manter o ritmo, a calma e o foco.

Ele sabe que cuidou e cuidou bem, cuidou tanto e entregou nos braços de outros sem pelejar, sem lutar... Viu sua rosa tão bem regada passar para outras mãos que não fariam o mesmo, ele sabia, sempre soube, mas não pôde. O gongo já tinha soado e seu tempo acabado, seria lutar em vão, causar problemas ainda maiores, seria lutar por algo que não era mais seu e que nunca foi de verdade, a não ser na sua mente oca e cheia ao mesmo tempo, de sonhos e delírios de jovem que ainda não caiu na real.

Talvez seja isso mesmo, quase todos tenham que sofrer por um amor ao menos uma vez na vida, mesmo que um amor como diz... Platônico? Um amor que de tão platônico cause a falsa impressão de que é real, de que faz parte da gente e que quando você o “abandona” faz falta e machuca igualmente. Faz parte amar sozinho, faz parte sofrer, mas é essencial seguir em frente. Amar é ceder, ele cedeu as asas ao anjo e ele voou para onde achou melhor as abrigar. Talvez um dia queira voar de volta, talvez seja tarde de mais, talvez já seja tarde de mais, quando é tarde mais? Poxa, rosa, porque não fincou suas raízes por aqui, porque simplesmente quis ter suas pétalas espalhadas, eu ajuntaria, em outros tempos talvez, eu sempre fui tão confuso quando estávamos pertos, com você longe tudo se mistura mais, se complica, então, é isso? Fim? Fim ao que nem teve de fato um começo, fim aos pensamentos... Deixe-me seguir estou bem agora, estou bem aqui, escuto tuas asas baterem tão distantes, como canções de ninar, anunciando um final feliz, o nosso final feliz, para sempre separados.

Então sim, existe um final feliz. A felicidade é a aceitação, é fazer se feliz com o que passou com o que se passa e com o que está por vim, a felicidade plena não é vinda de coisas materiais e sim, do espÍrito. Sendo assim: E viveram felizes para sempre, eternamente separados (ou não). A questão é que coração não é gaiola, porque se fosse haveria muitos amores sufocados como passarinhos sem canto. O amor é livre, amar é dar asas, se voar não era seu, se ficar cuide, faça do coração um ninho e se aninhe também, como uma troca, como o verdadeiro amor.

Tell them all I know now
Shout it from the roof tops
Write it on the sky line
All we had is gone now
Tell them I was happy
And my heart is broken
All my scars are open
Tell them what I hoped would be
Impossible, impossible

Impossible, impossible
Impossible - James Arthur

♡ Siga o instagram @alyneblima para mais textos 
Comente pelo Facebook

12 comentários

  1. Olá, parabéns pelo belíssimo texto, a mensagem que fica é que o amor e a felicidade se renovam a cada dia, os encontramos nos lugares mais inesperados e devemos aproveitá-los no presente, para que não falte no futuro e para lembrarmos com alegria do passado. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Alyne, é muito bom ler textos em que o autor fez com todo o coração, que mostra que ele realmente sente ou passou por isso, e o seu não foi diferente. E seu último parágrafo foi o melhor: " A questão é que coração não é gaiola, porque se fosse haveria muitos amores sufocados como passarinhos sem canto".
    Continue com textos tão bons quanto esse.

    ResponderExcluir
  3. Você escreve muito bem e de uma maneira tão bonita, parabéns Alyne! Primeira vez que leio um texto seu e amei muito. Espero que tenham mais outros textos seu por aqui.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Aqueles textos que mostram que vale a pena você parar uns 5 minutos da vida pra ler aquela textos que faz você pensar e tenta ver o lado bom da vida. Está de parabéns o seu texto mana, continua assim e quem sabe não podemos ter uma nova escritora brasileira ?

    ResponderExcluir
  5. Alyne!
    Se voar ele era seu sim, apenas se voltasse, totalmente feliz pelo passeio e por estar confortado no retorno.
    Muito bom seu texto e bem expressivo.
    “O que sabemos, saber que o sabemos. Aquilo que não sabemos, saber que não o sabemos: eis o verdadeiro saber.” (Confúcio)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    TOP Comentarista de JANEIRO dos nacionais, livros + BRINDES e 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto, achei de uma delicadeza ímpar, muito muito legal, e já vou acompanhar sim você lá no instagram só pra não perder mais textos como esse. Gostei de ler como a felicidade é super individual e você bem colocou no texto!

    ResponderExcluir
  7. Amei ♥
    Nem sempre a gente fica com as pessoas que amamos e isso não significa infelicidade, muito pelo contrário!
    As coisas acontecem no momento que devem acontecer, não quando a gente quer. Amar é ser e deixar livre

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Que maravilhoso o texto!
    Esse tal de amor é tão complicado e ao mesmo tempo tão simples. A gente percebe o quão é importante estar bem consigo mesmo que ai sim teremos o amor de verdade.

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Adorei esse texto, é lindo, principalmente a mensagem que ele deixa, de aproveitamos o agora e não nos arrependemos do que deixamos de fazer, adorei a forma que ele fala do amor !!

    ResponderExcluir
  10. Nossa que texto profundo, gostei muito, principalmente quando você disse sobre o amor, gostei da frase "O amor é livre, amar é dar asas, se voar não era seu, se ficar cuide, faça do coração um ninho e se aninhe também, como uma troca, como o verdadeiro amor." Muitas pessoas deveriam ter consciência disso.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir
  11. adorei o texto!!!
    muito lindo!!
    e concordo contigo o melhor final é aceitação a gente tem que aproveitar enquanto temos tempo né? quando ele passa, já era
    beijos! e no aguardo de mais textos lindos!

    ResponderExcluir
  12. Adorei o texto!!
    Falar sobre sentimentos é muito complicado mas você consegue passar pra a gente coisas sobre o amor. Realmente as vezes a vida bota na cara da gente a oportunidade e a gente perde. Mas não podemos ficar remoendo aquilo. O amor é um sentimento lindo e com certeza existe final feliz, só basta que exerguemos.

    ResponderExcluir

• Por favor, faça um comentário que se relacione com o tema da postagem;
• Estou aberta a críticas, sugestões e elogios. Porém, bom senso é sempre válido;
Obrigada pela visita,volte sempre :)

 
Desenvolvido por Michelly Melo| Modificação e ilustração por Bruna Lombardi| Cantinho da Bruna 3.0 - 2015 | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS ©